Baryonyx: um pescador nascido e enorme

 

Baryonyx um pescador nascido e enorme

Nome: Barionyx
Dieta: Ictiófaga
Peso: 3 toneladas
Período: Cretáceo Cedo
Encontrado em: Inglaterra

O gênero Barionyx é um gênero de dinsoaurios saurischia terópodes espinosáuridos que viveu durante o Período Cretáceo, há aproximadamente 120 milhões de anos.

Acredita-Se que habitou os continentes europeu e africano, principalmente em áreas próximas a grandes massas de água, como rios e lagos, e alguns cientistas acreditam que poderia viver em zonas de costa pouco profunda.

As regiões europeias onde foram encontrados restos mortais deste carnívoro pescador são a Inglaterra (primeiros resultados), Portugal e até Espanha.

Além disso, o Barionyx tinha uma garra de grande porte em suas extremidades anteriores que servia de isca: uma vez pego um peixe, não podia escapar.

Quer descobrir mais sobre este fascinante dinossauro? Então não perca o próximo artigo onde apresentamos uma ampla e detalhada informação sobre o Barionyx.

Taxonomia do Barionyx

  • O Barionyx pertenceu ao reino Animalia.
  • Este dinossauro pertence ao filo Chordata.
  • Sua classe é Archosauria.
  • O Barionyx pertenceu ao grupo Dinosauria.
  • Sua ordem é o chamado Saurischia.
  • Corresponde ao artigo designado Terópoda.
  • O Barionyx faz parte da superfamília Megalosauroidea.
  • Encontra-Se dentro da família denominada Spinosauridae.
  • Foi classificado na subfamília Baryonichinae.
    O género a que fazemos referência é Barionyx.
  • A espécie representante do gênero é B. walkeri.

Devemos esclarecer, neste ponto, que o fato de que esse gênero está representando, na atualidade, por uma única espécie pode mudar perante a descoberta de novos fósseis que possam evidenciar uma nova espécie dentro do mesmo gênero.

Por este motivo, faremos todo o possível para manter este n.o atualizado diante de qualquer mudança possível na taxonomia do Barionyx.

Características deste dinossauro

Quanto às suas características ou especificações principais podemos observar que esta enorme criatura pôde chegar a medir quase 10 metros de comprimento, quanto à sua altura, estima-se que não chegou a passar dos 3 metros e quanto ao seu peso, tem-se sugerido que não chegou a ter mais de 3 toneladas, nada menos.

Este dinossauro, resaltemos, era muito estranho, pelo fato de que era um animal que podia se mover apenas usando suas duas pontas inferiores, não obstante, quando eu precisava, eu usava as extremidades anteriores para esta situação, algo que é muito raro esses enormes exemplares.

Você sabia que?…

O que ressalta à vista sobre este dinossauro são as duas enormes garras que possuía em seus braços, este animal tinha essa característica, que se encontrava presente também em outros exemplares dromaeosauridae (mas nas patas traseiras), cujos elementos foram capazes de chegar a medir nada mais e nada menos do que 35 centímetros.

Por outro lado, um grupo numeroso de pesquisadores foi possível percatar de que os ossos e a sua estrutura demonstra que o animal provavelmente poderia ter tido uma série de fortes e resistentes músculos, principalmente nas pontas, mesmo muito mais fortes do que em outros terópodes que puderam estudar ao longo de todos estes anos.

Quanto ao seu pescoço, podemos dizer que é uma área muito importante na vida destes dinossauros, já que determinava, em grande parte, da forma em que se alimentavam e caçavam.

Neste caso, podemos dizer que, na realidade, não tinha aquela forma de S, isso era um detalhe que o diferencia de muitos outros espécimes também eram, portanto, pode-se afirmar que a flexibilidade não era uma qualidade deste dinossauro.

Sobre seu crânio, podemos afirmar que era bastante semelhante ao crânio de outros animais extintos, devido ao que se encaixam de forma perfeita em um ângulo de alguns graus.

Dito seja de passo, as mandíbulas do extinto este animal não eram de menor tamanho, e eram bastante assustadoras, semelhantes às das mandíbulas dos crocodilos, dos quais muita gente foge tão somente ao vê-los.

Estas terríveis mandíbulas apresentavam um total de 96 elementos dentais, uma quantidade realmente superior e esmagador se você compará-lo com outros dinossauros “similares”, embora Barionyx era verdadeiramente genuíno.

Se tirarmos contas podemos percatar que, na realidade, estes 96 elementos dentais acabam por ser quase o dobro do número de dentes de outros dinossauros.

Quanto à localização aqueles dentes, a grande maioria se podiam encontrar na zona inferior, enquanto que os restantes, obviamente, na área superior.

Também se pode observar uma protuberância em forma de crista, um pouco acima do enorme focinho carnívoro, no entanto, não foi comprovado realmente do que se trata ou função que possuía.

Para terminar de comentar detalhes sobre o focinho deste exemplar, diremos que também possuía uma depressão não pequena que se situava na área superior.

Segundo dizem os especialistas, para evitar que o objectivo ou o alimento se escapasse, enquanto estava lutando por sua vida, outra característica que também é semelhante aos crocodilos.

A descoberta do Baryonyx

O famoso lago identificado ou conhecido como Wealden, tem a fama de ser bastante antigo e acima de tudo, bastante misterioso, de fato, este lugar é onde se encontrou pela primeira vez o vestígio do animal protagonista deste artigo.

Sabe-Se que desde há milhões de anos, precisamente desde o período Cretáceo, na camada “precoce” nesse período, esta famosa aglomeração de água se encarregava de cobrir extensos territórios que hoje em dia permanecem descobertos.

História sobre Barionyx

Esses territórios são os que atualmente é conhecida como a região norte do continente europeu.

Se tem conhecimento de nosso amigo, o Barionyx, devido a um grande aficionado se encontrava realizando suas intermináveis “expedições” próximo a esta aglomeração de água, e era de se esperar, pois, que os seus esforços tivessem algum tipo de resultado.

Assim foi, e ao cabo de um tempo conseguiu dar com o paradeiro de uma série de vestígios que pertencem a este exemplar de grandes dimensões.

O torcedor que mencionamos, foi identificado como William Walker, por essa razão, nós agora identificamos a este animal como o Barionyx walkeri.

Você sabia que?…

Tudo começou quando o sujeito percebeu que uma garra de grande porte estava notoriamente visível em um antigo poço composto por argila, isto fez com que Walker pedir ajuda aos seus companheiros, para que possam retirar os vestígios do enorme exemplar, em um período curto de tempo, para surpresa de todos eles, os ossos deste animal se encontravam em um estado de conservação ideal.

Ao cabo de um tempo, a notícia não demorou a chegar as autoridades e por isso mesmo os cientistas Milner e Charig tomaram conta da exploração e, a partir disso, eles fizeram uma cuidadosa escavação que evitasse que os outros restos de sofrer danos colaterais.

Esses cientistas chegaram diretamente de um museu localizado na cidade de Londres (Inglaterra), depois de realizar o seu trabalho tomaram a faculdade de publicar a análise do exemplar no ano de 1986.

Obviamente, o fizeram sem deixar de mencionar que a pessoa que conseguiu encontrar os restos mortais foi o mesmo Walker, é esta a explicação para a denominação deste extinto animal, como já mencionado.