Avimimus: o grande imitador da pré-história

Avimimus o grande imitador da pré-história

Nome: O Avimimo
Dieta: Herbívora
Peso: 20 kg
Período: Cretáceo Tardio
Encontrado em: Ásia

O gênero o avimimo está representado por uma única espécie pertencente ao grupo dos dinossauros saurischia terópodes avimímidos.

Este grupo habitou o nosso planeta no Período Cretáceo, há aproximadamente 70 milhões de anos atrás, no território que conhecemos atualmente como a Ásia.

A primeira descrição oficial deste animal pré-histórico que data do ano de 1981 e foi realizada pelo dr. Sergi Kurzanov.

O nome o avimimo vem do latim e significa, literalmente, “imitador de pássaros”, já que sua fisionomia lembra a de um pássaro atual, sem deixar de lado as características próprias de um dinossauro.

Quer descobrir mais sobre esse animal pré-histórico? Não deixe de ler este artigo, onde você encontrará uma ampla e detalhada informação sobre o avimimo.

Taxonomia do o avimimo

  • O exemplar pertenceu ao Reino Animalia.
  • O exemplar se encontrava dentro do Filo ou Divisão Chordata.
  • O o avimimo pertencia à classe Reptilia.
  • Obviamente pertencia ao grupo Dinosauria.
  • Foi classificado dentro da ordem Saurischia.
  • O grupo em que encontramos o avimimo é Terópoda.
  • O nome que pertenceu é Oviraptorosauria.
  • O avimimo pertenceu à família denominada Avimimidae.
  • O gênero ao qual fazemos referência neste artigo é o avimimo.
  • O avimimo é representado por apenas uma espécie, A. Portentosus.
Desenho de o avimimo

Devemos mencionar que o fato de que, na atualidade, solopodamos determinar a A. Portentosus como a única espécie representante do gênero o avimimo, o certo é que isso pode mudar a qualquer momento se for encontrada uma nova espécie que possa ser avaliado dentro do mesmo gênero.

Não devemos confundir o que só se tenha encontrado uma espécie com o fato de poder afirmar categoricamente que não existissem mais, já que a descoberta de novos fósseis pode alterar o número de espécies pertencentes ao gênero.

Portanto, a partir desta plataforma faremos todo o possível para manter atualizada a taxonomia deste peculiar dinossauro.

Características deste dinossauro

É conveniente começar a descrição desse dinossauro, olhando para uma das estruturas mais importantes de que dispunha, o crânio.

Sobre seu crânio, podemos afirmar que era muito pequeno em comparação com o resto do corpo. No entanto, o tamanho do cérebro apresentava uma situação inversa.

Para responder a isso, em outras palavras mais esclarecedoras podemos dizer que o cérebro desfrutava de uma forma bastante decente, se o compararmos com outros exemplares de dimensões semelhantes.

De modo adicional, podemos dizer que este modelo apresentava algumas cavidades oculares em que se situavam os olhos, que eram de um tamanho grande em comparação com a estrutura total do crânio.

Assim mesmo, os elementos ósseos que tinham a função principal de fornecer defesa e proteção da área em que estaria situado o cérebro, eram também de grande tamanho, ou seja, tinha um espesso crânio.

Por todos estes detalhes é que este animal se lhe conhece e reconhece o grande tamanho do órgão cerebral que apresentava com relação ao resto de sua anatomia e exemplares de outra espécie.

Você sabia que?…

As dimensões deste animal, não eram muito grandes, mas nem por isso deixa de ser um animal digno e interessante de estudar e analisar.

Contando com exemplares de cerca de quase meio metro de altura e outro de um metro, e com um comprimento de cerca de 160 cm.

Por otro lado, existe una depresión  anatómica que científicamente se conoce bajo el nombre de foramen magnum, una estructura vacía que permitiría que la médula espinal pudiera conectar con el cerebro.

Dicha depresión poseía una gran dimensión según los últimos estudios efectuadosya que en paleontología un descubrimiento no implica el cese de una investigación sino que potencia la misma.

Además de ello se ha podido determinar que lo que se conoce como cóndilo (parte que redondeaba la zona más distal del cráneo), era de menor magnitud, por lo que dicho detalle llega a revelar que el cráneo en su totalidad no podría haber sido de un tamaño considerable.

Descrição do Avimimus

Algo totalmente diferente acontecia com a área do pescoço, o que era bastante moroso e extremamente ágil, pescoço, que se encontrava formado por elementos da coluna prolongados.

Através de estudos comparativos, foi possível estabelecer que esses elementos eram muito mais longos que as vértebras de outros exemplares que também se encontram dentro dos oviraptorosaurianos.

Uma diferença que este animal tinha com outros exemplares localizados dentro dos denominados oviraptóridos e até mesmo com outros animais conhecidos como cenagnátidos (outra família de oviraptóridos que acaba por ser um pouco diferente), é que o avimimo não apresentavam as famosas aberturas que se localizavam na área posterior dos elementos da coluna.

Essas aberturas na verdade serviam para formar estruturas denominadas como sacos aéreos. Por que esse detalhe dá-nos a conhecer que o dinossauro protagonista deste artigo passa a ser uma antiguidade muito maior do que o resto de exemplares do mesmo grupo.

Uma qualidade que este animal possui, e que é semelhante à de animais que hoje conhecemos como aves, é que os elementos ósseos que compõem a estrutura de suas patas dianteiras, é que estão totalmente vinculados ou aquisições, parecendo que se tratasse de um único osso.

Além disso, podemos observar a presença de um canto precisamente no próprio ulna, o qual foi listado como um elemento essencial para que as penas estão inseridos de acordo com Kurzanov, um pesquisador de grande prestígio do século passado e que, tal como mencionado no início, realizou a primeira descrição oficial de o avimimo.

Avimimus portentosus

Esta primeira descrição assinalou também que três anos antes de entrar na década de 1990, o cientista, ele veio a público a notícia de sua grande conquista: encontrar uma estrutura denominada como quilha, uma estrutura única de todas as aves, mas que aparecia dentro da estrutura óssea do animal o avimimo.

Enquanto isso, outro paleontólogo chamado Chiappe se encarregou de informar a toda a comunidade científica de que este animal apresentava alguns itens designados como colisões, precisamente no osso que havíamos mencionado, o cúbito, apesar de que não podia dar a conhecer a verdadeira função desse elemento.

Sobre o mesmo assunto, Kurzanov se aventurou em afirmar que, provavelmente, essa estrutura se encontrava projetada de tal forma com a função de propiciar, de alguma forma, o voo do dinossauro protagonista deste artigo.

Não obstante esta afirmação ultrapassa o real e entra no terreno das suposições, já que é algo que ainda não se pôde comprovar nem negar de forma irrefutável, sendo este o evento que acompanha todas as teorias.

Esta teoria tem levado a um grande número de pesquisadores a admitir que o animal pode ter apresentado penas, mas são esses mesmos pesquisadores, os que negam a possibilidade de que o exemplar tinha tido a habilidade de voar.

Por isso, esse aspecto ainda está muito longe de ser comprovado de modo científico e enquanto isso, as múltiplas controvérsias têm cabimento neste debate, paleontológico.

Você sabia que?…

Além disso, o que conhecemos hoje em dia como ilion, estava disposto de um modo totalmente horizontal, ao contrário de outros exemplares semelhantes com os que se lhe costuma comparar. Pela disposição do ilion pode-se observar que os quadris esta criatura eram realmente extensas, um detalhe que, como já mencionamos, lhe ofereceu um traço diferenciador.

Devido à estrutura que este animal tinha nas pontas que comumente se conhece como pernas, este dinossauro era muito veloz, possivelmente, e usava a velocidade tanto para dar caça a outros exemplares de menor porte, como para poder fugir quando o momento assim o exigia.

Acredita-Se que era um grande e veloz corredor, não só pelo tamanho de suas extremidades, mas o detalhe que possuía ,cerca de itens designados como espinhas.

Estes elementos também desfrutavam de uma extensão considerável, se comparado com o resto da estrutura, a qual conhecemos como coxas. Esta característica se apresentava de forma bastante frequente em animais que possuíam uma grande velocidade e agilidade ao deslocar-se.

O o avimimo e a sua alimentação

Este misterioso amostra não apresentava uma estrutura dentária, na verdade, o que se tinha era uma estrutura muito semelhante à dos bicos de papagaios.

Esse fenômeno também ocorria em outros exemplares semelhantes, entre os quais podemos mencionar o Oviráptor, e, claro, também para outras espécies da família Caenagnathidae.

Você sabia que?…

É por esta qualidade que se presume que o dinossauro protagonista deste artigo poderia ter sido, com grande probabilidade, um verdadeiro herbívoro, ou seja, baseava a sua dieta no líquido consumo de vegetais, não obstante, existe a possibilidade de que, na realidade, se alimentasse de todo tipo de alimento, não apenas de vegetais, sendo um omnívoro.

Por um lado, Kurzanov sugere e aponta com total segurança de que este dinossauro, o avimimo, na verdade, era um líquido caçador de insetos, que se dedicava a rastrear de forma bastante rápida.

Supõe-Se também que depois de pegá-los se decidia por devorá-los com muito prazer, opinião que é criticada por um grupo menor de pesquisadores dedicados à Paleontologia.